terça-feira, outubro 25, 2016

sexta-feira, julho 15, 2016

Razões para ir ao Festival de BD de Beja: No Presépio…

Em 2011, o tema do AmadoraBD foi o Humor. A exposição central e um extenso dossier no catálogo do evento, ambos coordenados por Osvaldo Macedo de Sousa, pretenderam, entre outros objetivos, celebrar o centenário do humorismo em Portugal e o peso que ele tem na banda desenhada nacional. Osvaldo Macedo de Sousa, mais ligado a formas de linguagem gráfica de maior imediatismo do que a banda desenhada, como o cartoon ou a caricatura, teve a oportunidade – que aproveitou – de fazer a ponte entre todas estas linguagens, sendo certo que a moderna banda desenhada descende do cartoon, e nasce do humor. De resto, o facto de Osvaldo de Sousa ter permanecido mais ligado ao cartoon ou à caricatura, significa que ficou mais próximo da temática do humor.
Uma das ideias que Osvaldo de Sousa tem reafirmado assenta no princípio de que o humor causa medo… porque entra na alma das pessoas. É uma ideia interessante, ligada – mesmo para quem não acredite na alma (e os autores deste álbum não devem acreditar) – àquilo que nos torna humanos. O humor é, afinal, um sinal de inteligência humana.
A sátira ao presépio expõe esse medo, e desafia essa inteligência.
O Presépio é tão bonito, tão inspirador. É uma representação pura da paz, do amor, dos valores fundamentais da vida em comunidade. Mas isso é porque os elementos que compõem esse presépio estão sempre calados e normalmente são de barro. Eis, na Banda Desenhada “No Presépio…”, o verdadeiro e genuíno presépio vivo. O Zé, a Maria, o Burro, a Vaca e o Menino no seu quotidiano exuberante, dramático, corriqueiro, cómico, parvo… Principalmente parvo.
É com este texto que a editora Insónia apresenta o álbum No Presépio…, de José Pinto Carneiro e Álvaro, distinguido com o Prémio Nacional de Banda Desenhada para o Melhor Álbum de Tiras Humorísticas. (...)"

Texto na íntegra aqui --- > acalopsia.com
.